Archive | September, 2010

Ciência desvairada


O artigo The chosen research areas of mad scientists, 1810-2010 faz um apanhado divertido das áreas pesquisadas pelos cientistas malucos na literatura, cinema, televisão e quadrinhos do começo do século XIX em diante. O gráfico gerado revela tendências interessantes, como o boom de estudos em física nuclear a partir dos anos 50. No mínimo, curioso.

So what did we discover? First of all, mad scientists have obviously grown in popularity a great deal since the nineteenth century. Of all the sciences, biology seems to enjoy the most adherence from the maniacal – followed closely by its sister discipline, biotechnology.

(Via Mind Hacks)

Artigo relacionado: Arqui-inimigos da Psiquiatria

Leave a Comment

Paint it black

Number 32, Jackson Pollock (1950)

Quinze grandes músicas pop cujo tema principal é depressão/suicídio (não segui nenhuma ordem em especial):

Paint it black (Rolling Stones)
I’m so tired (Beatles)
Nothing compares to you (Prince)
Fell on black days (Soundgarden)
King of pain (The Police)
Everybody hurts (REM)*
Love will tear us apart (Joy Division)
I know it’s over (The Smiths)
Comfortably numb (Pink Floyd)
In my room (Beach Boys)
Fade to black (Metallica)
Lithium (Nirvana)
Perfect day (Lou Reed)
Trouble (Cat Stevens)
Things behind the sun (Nick Drake)**

* Acho o clipe dessa particularmente bonito
** Na verdade, é difícil acha alguma do Nick Drake que não seja sobre melancolia.

Leave a Comment

Cartum

(Via Desculpe a poeira, via The New Yorker)

Leave a Comment

Jung e A Origem


“Inception”: Carl Jung’s Wet Dream
é um texto oportuno que traça paralelos entre o filme A Origem (Inception, 2010) e a teoria junguiana. O filme, que vale muito a pena ser visto, tem chamado a atenção dos profissionais da psicanálise e da psiquiatria.

A key theme in the movie is one of Jung’s fundamental tenets — the psychological process of an individual moving from disunity to unity. Indeed Jung believed that a chief calling of the human experience is to engage all aspects of the psyche and move toward wholeness.

Post relacionado: Meta-sonhos

Leave a Comment

O mistério final de Poe


O escritor americano Edgar Allan Poe (1809-1849) morreu sob cricunstâncias misteriosas aos 40 anos. Poe sofria de alcoolismo e há mesmo a possibilidade de ter tido o que chamamos hoje de transtorno afetivo bipolar. Achei três links interessantes sobre o autor de O Corvo:

Edgar Allan Poe Mistery (texto da University of Maryland sobre as circunstâncias da morte)

Once upon a midnight dreary: the life and addictions of Edgar Allan Poe;

The System of Dr Tarr and Professor Fether (1845) – Psychiatrists in 19th-century fiction
(pequeno texto sobre um conto muito interessante de Poe)

Posts relacionados: Diário de um louco, Dostoiévski em crise, Anatomia da poesia

Leave a Comment

Lendo o presente


Achei interessante esse ensaio publicado na Smithsonian Magazine, Reading in a Whole New Way , sobre a leitura em telas eletrônicas. (O ensaio traduzido pode ser lido aqui)

Em tempos de Kindle e iPad é inevitável uma grande mudança nos hábitos de leitura. O ato de ler, que antes parecia um atavismo, hoje se define a partir de complexas interações entre a internet e o mundo não virtual.

The most physically active we may get while reading a book is to flip the pages or dog-ear a corner. But screens engage our bodies. Touch screens respond to the ceaseless caress of our fingers. (…) We interact with what we see. Soon enough, screens will follow our eyes to perceive where we gaze. A screen will know what we are paying attention to and for how long.

(Dica e tradução do ótimo MidiaScopio)

Post relacionado: Internet vs. Inteligência

Leave a Comment

Psiquiatria através do prisma

Studying mental illness through art certainly aids understanding of both symptoms and treatment, and it is a valid subject for medical students to study. Students went away with a better understanding of mental illness and hopefully some resistance to the stigmatising influences they will encounter in their later experiences in medicine.

O psiquiatra inglês Bob Adams escreve sobre sua experiência de ensino do tema “psiquiatria & arte” para alunos de medicina. O artigo Dark side of the moon: a course in mental health and the arts pode ser valioso para quem se interessa por novas metologias de ensino da psiquiatria. Eu gostei.

Post relacionado: Os psiquiatras e a leitura

Leave a Comment

Dez por cento do cérebro


eSkeptic publicou recentemente uma matéria sobre o livro 50 Great Myths of Popular Psychology: Shattering Widespread Misconceptions about Human Behavior e fez um top 10 dos mitos mais difundidos. Entre eles está aquele conhecido factóide que garante que usamos apenas 10% da capacidade do nosso cérebro.

Indeed, in today’s fast-paced world of information overload, misinformation about psychology is at least as widespread as accurate information. Self-help gurus, television talk show hosts, and self-proclaimed mental health experts routinely dispense psychological advice that is a bewildering mix of truths, half-truths, and outright falsehoods.

Leave a Comment

Fotografias da alma

"Mania puerperal" - estado agudo e convalescente.

Bom artigo sobre a história do uso da fotografia na prática psiquiátrica: A Fotografia Psiquiátrica no Século XIX: Hugh W. Diamond

Havia a proposição de que a fisionomia individual seria reveladora de tipos específicos de caráter, associados a determinados perfis de doença ou a perfis criminais. Assim, a representação fotográfica passou a ser utilizada não como a reveladora de individualidades, mas como instrumento “científico” capaz de estabelecer a identificação de um determinado indivíduo a uma categoria específica de tipologia.

Ainda sobre o fotógrafo pioneiro: Dr. Hugh Welch Diamond, padre de la fotografía psiquiátrica.

Leave a Comment

O primeiro autista


© Miller Mobley / Redux


Matéria curiosa
do The Atlantic sobre o primeiro caso diagnosticado de autismo. Donald Triplet entrou para a história da psiquiatria e hoje, aos 77 anos, aparentemente leva uma vida feliz.

Donald was the first child ever diagnosed with autism. Identified in the annals of autism as “Case 1 … Donald T,” he is the initial subject described in a 1943 medical article that announced the discovery of a condition unlike “anything reported so far,” the complex neurological ailment now most often called an autism spectrum disorder, or ASD.

(Via Mind Hacks)

Post relacionado: Autismo na tela

Leave a Comment

Vencendo o tempo


Encontrei um curioso ensaio fotográfico no Etiqueta Negra. A matéria é sobre desportistas dinamarqueses na terceira idade. Vale uma olhada pra quem gosta de fotografia.

En Dinamarca hay un grupo de deportistas cuyo último logro consiste en persistir. Lucen saludables, algunos tienen más medallas que los atletas vigentes y otros hasta superan los cien años de edad. ¿Cuál es la meta de un deportista en el tramo final de su vida?

Leave a Comment

Medindo o estigma


Artigo importante
sobre o desenvolvimento de uma escala auto-aplicável para medir a estigmatização dos pacientes psiquiátricos.
Boa idéia para um artigo de validação de escala para o português.

We aimed to design a standardised measure of the stigma of mental illness that is firmly anchored in the experiences and views of mental health service users, and then to test its relationship to a measure of self-esteem. We predicted that stigma and self-esteem would be negatively correlated.

Leave a Comment

Autismo na tela


Bons filmes sobre síndrome de Asperger, para ver no final de semana:

Mary an Max (2009)
Muito Além do Jardim
(1979)
Rain Man (1988)
Forrest Gump (1984)

Posts relacionados: You talkin´ to me?, Woody Allen no consultório

Leave a Comment

Salada de palavras


“DOS LIVROS INÚTEIS

Que me encontro sentado na proa do navio é algo especialmente engraçado e com certeza tem sua justa causa. Por livros tenho grande apreço e deles possuo um volumoso tesouro. Embora pouco compreenda do que está escrito em qualquer um deles, venero minha biblioteca e não permito que uma mosca sequer lhes cause mal. Quando alguém fala em ciências e artes, logo digo: ‘Em minha casa tenho-as aos montes!’ Afinal, para contentar meu espírito já é suficiente que eu esteja circundado de livros. (…) Ora, quem muito estuda torna-se lunático! Eu sou um senhor de posses, portanto, posso me dar ao luxo de pagar alguém que estude no meu lugar.”

Trecho de A Nau dos Insensatos de Sebatian Brant. recentemente reeditado em português. O livro de 1490, todo ilustrado, é um clássico da literatura satírica medieval. Edição online em alemão aqui.

Esse post vai para do dr. Paulo Hudson, que certamente sabe reconhecer a utilidade dos livros.
Leave a Comment

Operando a mente 2

Trecho do documentário “The Lobotomist, produzido pela PBS que mostra a realização de uma lobotomia transorbital, no surgimento dessa técnica nos anos 40. Apesar das cenas fortes, um vídeo útil para ilustrar aulas de história da psiquiatria.

Post relacionado: Operando a mente.

Leave a Comment