Archive | February, 2011

Os psicopatas e a evolução

O blog Psiquiatria e Sociedade levanta questões interessantes sobre os psicopatas e os aspectos culturais do transtorno de personalidade anti-social: Psicopatas: um mal necessário?

Mas eu entendo o entusiasmo com os psicopatas. Eles são fascinantes em sua amoralidade, agindo em proveito próprio ignorando quaisquer entraves. (…) Para além da ausência de amarras, contudo, há uma hipótese interessante, que diz que no fundo a sociedade e os psicopatas precisam um do outro.

:: Post relacionados: O fim do narcisismo, Como criar uma seita

Leave a Comment

As vias musicais da emoção

Um artigo recente publicado na Nature Neuroscience investiga o impacto dos estímulos musicais sobre o sistema dopaminérgico estriatal – Anatomically distinct dopamine release during anticipation and experience of peak emotion to music. O resumo da ópera (com o perdão do trocadilho) é que os nossos momentos favoritos nas músicas são precedidos por intensa atividade neuronal excitatória que antecipam o clímax, quase da mesma maneira que os cachorros de Pavlov babavam ao ouvir o sino.

Um texto do Frontal Cortex, The Neuroscience of Music, explora o assunto:

The more interesting finding emerged from a close study of the timing of this response, as the scientists looked to see what was happening in the seconds before the subjects got the chills.

Da próxima vez que você se arrepiar durante uma música dos Beatles ou de um noturno de Chopin, agradeça ao seu sistema estriado.

:: Posts relacionados: Música na cabeça, Obsessão musical

Leave a Comment

Michelangelo da medicina

Quem fez qualquer faculdade da área da saúde ou estudou anatomia certamente já deparou com belas e caprichosas ilustrações de pacientes, sintomas ou órgãos com a elegante assinatura F. Netter.

O médico Frank Netter (1906-1991) dedicou a maior parte de sua vida ao desenho preciso de estruturas anatômicas e sinais clínicos. O site Science & the Arts traz interessante vídeo sobre o trabalho do doutor artista: Frank Netter, the “Michelangelo of Medicine”

Aqui, o site oficial da Netter Collection.

:: Posts relacionados: Neuroimagem e arte, Fobia ilustrada

Leave a Comment

As gerações e o alfabeto

Chamam os jovens que hoje têm menos de 25 anos de Geração Y. Não gosto muito dessa compreensão que tende a generalizar algo tão multifacetado como uma população imensa que vive em culturas e economias tão diversas no mundo, mas devo admitir que o vídeo acima dá uma boa idéia sobre como pensa e se comporta uma boa parte da juventude nos dias de hoje.

Se você não sabe o que são a geração Y e a geração X, ou nunca ouviu falar dos baby boomers, sugiro que assista ao vídeo.

:: Posts relacionados: História da humanidade, A mente do internauta, Lendo o presente

O guardião do abismo

J.D. Salinger escreveu na década de 40 um dos maiores romances de formação do século XX: O Apanhador no Campo de Centeio.  Apesar do enorme sucesso do livro em vários países, o autor norteamericano conseguiu se manter em quase completa reclusão até a sua morte em janeiro de 2010.

Colhi no Desculpe a Poeira o ótimo relato do escritor e editor Brain Fuller de um encontro com o criador do personagem Holden Caufield: An Evening with J. D. Salinger

Salinger shook all hands with apparent ease. I had the feeling, however, having been looked squarely in the eye by him and having watched him shake the hands of Jill and Joe in the same manner, that he was glad to see some relatively young guests. He was thirty-three that year.

Leitura imperdível para quem gosta do autor.

:: Posts relacionados: Escritores da Ilha, Criatividade em revista, Os psiquiatras e a leitura

Leave a Comment

Amor delirante

Erotomania (ou síndrome de De Clèrambault, para os que gostam de epônimos) é o nome que se dá em psicopatologia ao delírio cujo tema é a idéia de ser amado(a) por uma pessoa geralmente ilustre ou inacessível.

O indivíduo acometido pela síndrome desenvolve a convicção, por meio de interpetrações delirantes, que a figura que supostamente o ama dá sinais sutis do seu interesse, ou mesmo que comunica claramente (geralmente através de alucinações auditivas) o seu amor pelo doente.

A síndrome geralmente ocorre na esquizofrenia paranóide, nas psicoses maníacas e nos quadros demenciais.

Aqui vai o link para um bom artigo de revisão sobre o assunto: Síndrome de De Clèrambault: uma revisão bibliográfica

:: Posts relacionados: Síndrome de Stendhal, Olhando torto, Delírio de negação

Leave a Comment

O estranho poder do placebo

Muito se tem falado sobre o efeito placebo, sobretudo nas discussões que envolvem homeopatia versus alopatia. Esse vídeo curto e ilustrativo (em inglês, com legendas) apresenta de forma bem interessante alguns dados sobre estudos envolvendo placebo. Há o dado, por exemplo, que pílulas maiores de placebo funcionam melhor que as menores.

The placebo isn’t about what’s in it, but about the beliefs that we load onto it

:: Posts relacionados: Em círculos, YOGABA

Cartum #11

"Você é tão fria e distante, Marianita...as vezes penso que não tem emoticons."

(por Alberto Montt)

Leave a Comment

Mau humor com bom humor

Reconhecidamente, algumas das pessoas mais engraçadas do mundo eram indivíduos de temperamento, digamos, difícil. Parece mesmo haver uma relação intrínseca entre o mau humor e a capacidade de fazer rir. Gente como Groucho Marx*, Woody Allen, Charles Chaplin e W.C. Fields fazem parte do time dos mal-humorados engraçados.

Distimia é uma síndrome psiquiátrica caracterizada pela queixa de alguns sintomas depressivos leves que tendem a acompanhar a pessoa que sofre por um tempo considerável (geralmente mais de dois anos). A distimia tem sido chamada de “mau humor crônico” mas, clinicamente, devem ser considerados outros elementos, como características da personalidade, para fechar o diagnóstico. Achei um bom artigo em português sobre o assunto:

Distimia: características históricas e nosológicas e sua relação com transtorno depressivo maior.

Os pacientes com transtorno distímico frequentemente são sarcásticos, niilistas, rabugentos, exigentes e queixosos. Eles podem ser tensos, rígidos e resistentes às intervenções terapêuticas, embora compareçam regularmente às consultas.

* O pseudônimo do comediante Julis Henry Marx vem da palavra inglesa grouchy, que quer dizer algo como “ranzinza”.

:: Posts relacionados: O lado engraçado da tristeza. Mania criativa

Leave a Comment

Stormy weather

Há uma entidade clínica chamada Transtorno Afetivo Sazonal (Seasonal Affective Disorder ou, simplesmente, SAD) que se caracteriza principalmente por depressão acontecendo no inverno. As alterações de humor relacionadas à época do ano são bem mais frequentes no hemisfério norte e provalmente têm relação com a quantidade de luz solar que o corpo recebe.

Apesar de não ser propriamente depressão, culturalmente é comum o relato de sentimento de tristeza relacionado aos dias chuvosos. Aqui em Fortaleza estamos na estação de chuvas (um pouco) mais frequentes, por isso lembrei de alguma músicas para acompanhar a melancolia dos dias acinzentados.

- Stormy Weather, por Ella Fitzgerald
- I’ve got my love to keep me warm, por Billie Holiday
- Pennies from heaven, por Sarah Vaughan
- Rainy days and mondays, The Carpenters
- Raindrops keep falling on my head, por B.J. Thomas
- Crying in the rain, The Everly Brothers
- Another rainy day, por Corinne Bailey Rae
- A foggy day, por Bing Crosby
- I wish it would rain, The Temptations
- I think it’s going to rain today, por Nina Simone
- It’s raining again, Supertramp

Nota: “Singin’ in the rain” não entrou porque evidentemente é uma música sobre felicidade :)

:: Post relacionado: Paint it black, Sofrimento sazonal

Leave a Comment

MK-ULTRA

O MK-ULTRA foi um projeto militar ilegal (?) e secreto envolvendo soldados e civis nos EUA e Canadá durante as décadas de 50 e 60. Os experimentos, que utilizavam tortura psicológica, privação de estímulos e sono, hipnose, uso de substâncias alucinógenas e outras barbaridades, eram realizados em ambiente acadêmico (que envolvia universidades como a Harvard) visavam sempre ao controle da mente. Boa parte dos sujeitos dos experimentos não consetia ou sequer sabia que estava sendo submetido aos testes.  Para dar uma dimensão do tamanho das pesquisas, em 1953 cerca de 3% do orçamento total da CIA era destinado ao projeto.

É difícil achar algum artigo científico sério sobre o tema mas encontrei esse artigo sobre aspectos da ideologia militar que lança luz sobre as possíveis razões para a paranóia que norteia atividades militares como a do MK-ULTRA:

A etnografia como extensão da guerra por outros meios: notas sobre a pesquisa com militares

:: Post relacionado: LSD nas trincheiras

Leave a Comment

Mal de lua (2)

Achei um artigo muito curioso sobre a origem do uso do termo “lunatic” na lingua inglesa para designar pessoas com transtornos mentais. Segundo os autores, a palavra estreou na língua dos bretões no século XIV. Aparentemente, o termo servia em sua acepção inicial para denominar pessoas com epilepsia e só depois foi utilizado para nomear os loucos.

The original meaning of the term “lunaticus” is not related only to insanity. In particular, its first use is documented in the Vulgate, the fifth-century Latin version of the Bible, translated from the Ancient Greek by Jerome (347-420) on commission of Pope Damasus. In the Gospel of Matthew (17: 15-18), a father asks Jesus to cure his son because he is “lunaticus”

Quem se interessa por etimologia vai gostar de ler: The Disease of the Moon: The Linguistic and Pathological Evolution of the English Term “Lunatic”

:: Posts relacionados: Mal de lua, Sofrimento sazonal

Leave a Comment

Delírios bizarros e religião

(c) Sebastien Mansfield

A Epiphenom discute um artigo recente sobre a ocorrência de delírios bizarros na população geral. O estudo encontrou uma prevalência surpreendentemente alta em pessoas aparentemente sem psicose em uma amostra de britânicos. O interessante (e os céticos vão amar esta informação) é que houve uma correlação positiva entre crença religiosa e delírios bizarros, isto é, pessoas religiosas neste estudo tinham mais chance do que ateus de ter os tais delírios.

Rachel Pechey and Peter Halligan, at Cardiff University in Wales, created a new questionnaire specifically to try to find out how common bizarre delusions actually are. They did this by asking about symptoms without framing them in terms of mental illness, and by asking about them as part of a larger questionnaire covering all kinds of beliefs – including religious and political beliefs.

Aqui, a matéria completa: Most people are a bit crazy, and believers are a bit crazier than most

:: Posta relacionados: Delírio de negação, Delírio, Delusion, Whan, O limiar da psicose

Leave a Comment

Cartum #10

"... o da neurociência é uma invenção moderna. Nós temos vários séculos de experiência e sabemos que não há melhor tratamento para 'epilepsia' que um bom exorcismo.

(Via Alberto Montt en Dosis Diarias)

>> Em homenagem ao herético Paulo Hudson.
Leave a Comment

Intermezzo

Foo Fighters - Everlong (Official Music Video). Watch more top selected videos about: Foo Fighters

O clipe não é tão novo assim, mas sempre achei bacana como o diretor desse vídeo do Foo Fighters misturou a estética de filmes B com o clima onírico. A música se chama Everlong e é de 1995.

:: Posts relacionados: Vastas emoções e pensamentos imperfeitos, Meta-sonhos