Surtos de dança

Encontrei um texto bem esclarecedor sobre um fato histórico curioso: em 1518, sem razão aparente, cerca de 400 pessoas experimentaram em Estrasburgo um surto incontrolável e contagiante de dança que se estendeu por algumas semanas. A coisa foi tão séria que ao final do período algumas pessoas haviam morrido extenuadas. Há descrições históricas confiáveis de alguns surtos de natureza semelhante em outros países da Europa.

Hoje se pode apenas especular sobre a causa desses surtos coréicos. Há quem acredite em uma intoxicação em massa por ergot, enquanto outros preferem pensar em transe de natureza dissociativa numa escala epidêmica. O texto publicado no Frontier Psychiatrist deve interessar a quem gosta de psiquiatria antropológica: Dancing mania

In the times of the dancing mania there were common beliefs about wrathful spirits able to inflict a dancing curse.  In this milieu once one particularly disturbed person started to dance others were likely to join.

:: Posts relacionados: Danse macabre, Mal de lua, Feitiçaria moderna

2 Responses to “Surtos de dança”

  1. rodrigo
    28/04/2011 at 7:54 pm #

    o texto é realmente muito interessante, e vejo como essa concepção de uma etiologia baseada no modelo hidráulico reflete a existência de formas ritualizadas de liberdade social, como os bacanais, saturnais e o nosso bom e velho carnaval. mais próximo dos eventos do texto, houve também o tarantismo, o qual rendeu até seu próprio tipo de dança:

    http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1082580/pdf/medhist00097-0041.pdf

    parabéns pelo espaço, muito legal.
    abraço.

  2. S. Albuquerque
    29/04/2011 at 8:57 am #

    Bem lembrado, A Tarantella!

    Obrigado.

Leave a Reply