Aura poética

Uma nova biografia de Emily Dickinson especula que a escritora americana pode ter sofrido de epilepsia. Segundo a biógrafa Lyndall Gordon (que já escreveu sobre a vida de Virginia Woolf, Charlotte Brontë e T.S. Eliot), Dickinson pode ter deixado “pistas” sobre  a moléstia em alguns dos seus poemas.

Aqui, uma matéria sobre a recém-lançada biografia Lives Like Loaded Guns. Na matéria há um trecho do livro, que pode interessar a quem gosta de poesia norte-americana e  estudos patográficos.

:: Posts relacionados: Anatomia da poesia, O mistério final de Poe, Dostoiévski em crise

No comments yet.

Leave a Reply