Diário borderline

Encontrei os desenhos acima no banco de imagens da Wellcome Collection. Eles fazem parte de uma série feita pela artista Bobby Baker intitulada Diary drawings.

Os desenhos constituem um diário ilustrado feito ao londo de onze anos, período em que a artista frequentou como paciente um serviço do tipo hospital dia após ter  recebido o diagnóstico de transtorno de personalidade borderline.

Originally private, they gradually became a way for her to communicate complex thoughts and emotions that are difficult to articulate, to her family, friends and professionals. The drawings chart Bobby’s treatment in day hospitals and acute psychiatric wards, psychological therapies, mediation and the NHS mental health ‘system’, as well as her family life, friends and work, and the joy of slowly getting better.

As ilustrações são o sofrido testemunho de uma mente instável. Vale a pena uma olhada nos outros desenhos (clique na imagem para ver o resto da galeria), que formam um mosaico complexo de imagens mentais como desejos de auto-mutilação, impulsividade, raiva e sentimento de abandono, tão comuns nos pacientes portadores do transtorno de personalidade borderline.

:: Posts relacionados: Cinema limítrofe, Desenhando o insondável

No comments yet.

Leave a Reply