Archive | April, 2013

Intermezzo

 

Billie Holiday hoje faria 98 anos. Acho que nada de novo pode ser dito sobre a voz mais bonita e triste do jazz. Dê o play no vídeo e deixe a Lady Day falar por si.

Os nomes do mundo, pronunciados

De Clérambault psiquiatria erotomania epônimo pronúncia

Gaëtan Gatian de Clérambault (1872-1934)

 

Dúvidas na hora de pronunciar nomes célebres da psiquiatria como Tourette, De Clérambault, Eugen Bleuler e Münchausen?

Seus problemas acabaram!

Deve existir há algum tempo, mas só agora descobri o Forvo, um site colaborativo no qual pessoas do mundo todo pronunciam palavras em seu idioma. Ouça falantes natos pronunciando cada uma das acima: o psiquiatra da doença dos tiques, o francês dos delírios erotomaníacos, o pai da esquizofrenia e o barão que dá nome ao transtorno factício.

(Finalmente descobri a pronúncia correta de Sjögren, o epônimo da síndrome auto-imune da boa e olhos secos. Clique aqui para aprender.)

Útil, né?

:: Posts relacionados: Amor deliranteEpônimosAlém da esquizofrenia

Leave a Comment

As aparências nunca enganam

frenologia psiquiatria fisiognomia

PERICULOSIDADE “… todo o perigo se concentra nestas duas faculdades. Elas são facilmente localizadas e devem ser identificadas por todo homem, mulher e criança. Fique atento à periculosidade desses homens e mulheres”.

 

Já escrevi sobre frenologia no blog algumas vezes (veja aqui). Revisando:

A frenologia admitia que cada faculdade mental tinha uma localização específica no cérebro. Alguns cientistas no período, notadamente Franz Gall, tentaram determinar como o cérebro funcionava a partir da premissa do mapeamento anatômico das funções. Com os dados empíricos obtidos, o ramo prático da frenologia passou a gerar interesse no meio científico a partir do início do século XIX.

Encontrei uma pérola esses dias: um livro americano com lições de frenologia e fisiognomia práticas de 1902: VAUGHT’S PRACTICAL CHARACTER READER (na íntegra, digitalizado, aqui). Com linguagem simples e desenhos atrativos, a obra provavelmente era voltada ao público leigo e trazia fórmulas infalíveis para identificar o caráter do indivíduo a partir da fisionomia e do formato da cabeça.

Segundo o livro, é possível identificar se uma pessoa é bígama, perigosa, herege, mundana, avara, ciumenta ou assassina só de olhar pra ela.

O humor involuntário fica por conta da aparência cartunesca dos desenhos e da extravagância do texto. Clique na imagem para ver uma seleção do livro.

:: Posts relacionados: Anatomia do malHistória da frenologiaCada cabeça, uma sentença

Leave a Comment