A corrente

CHIEN-CHI CHANG corrente psiquiatria tratamento fotografia

Apesar de todos os avanços no campo biológico, o tratamento de pessoas com transtornos mentais será sempre o tratamento de um humano para outro humano.

As imagens do fotógrafo Chien-Chi Chang apontam para o fato, também muito humano, de que estamos todos ligados por correntes invisíveis; e que nossa parte racional nunca está completamente dissociada da loucura.

O fotógrafo da Magnum documentou o tratamento dado a pacientes com transtornos mentais graves, como retardo mental e esquizofrenia, em um tempo budista em Taiwan. Nessa comunidade, os doentes são acorrentados a pessoas saudáveis. O objetivo do tratamento é que os acompanhantes sãos possam transferir, através do cuidado, sua saúde às pessoas em sofrimento.

Veja algumas fotos do comovente trabalho aqui.

(via Daniel Franco)

Leia também aqui no blog, outros posts sobre psiquiatria e fotografia: 

 

2 Responses to “A corrente”

  1. Daniel
    27/10/2013 at 9:09 pm #

    Uma coisa que me chamou a atenção foi a dificuldade pra diferenciar quem é doente e quem é são. Parecem o duplo um do outro. Talvez isso queira dizer “somos todos iguais” ou “não existe fronteira entre a loucura e a normalidade”. Mas talvez seja apenas aquela velha máxima: “japonês é tudo igual”. hehehe

    • S. Albuquerque
      28/10/2013 at 10:13 am #

      Também me chamou muito a atenção isso!

Leave a Reply