Tag Archives: drogas

Cérebro encharcado

 

Acima, um vídeo bem interessante sobre os efeitos fisiológicos do álcool no cérebro.

Infelizmente o vídeo está em inglês e ainda sem legenda.

:: Post relacionados: Drogas, anos 50Sob o efeito da literaturaSob efeito da arte

As faces da dependência

O fotógrafo Chris Arnade diz que seu assunto fotográfico favorito é aquele que merece atenção mas que não está procurando por ela. Com isso em mente, fotografou e colheu informações de pessoas com dependência química nas ruas de Hunts Point em Nova Iorque. O resultado é o comovente ensaio Faces of Addiction.

Muitas vezes é difícil definir a linha entre o fotojornalismo austero  e a estetização da miséria. Na minha opinião, Arnade conseguiu caminhar no lado honesto da linha com sutileza, evitando cair na armadilha do sensacionalismo.

Clique na imagem para ver a galeria.

:: Posts relacionados: Planeta particularO mundo fechado dos asilosVidas deixadas para trás

Leave a Comment

Drogas, anos 50

 

Acima, o trecho de uma animação educativa (em inglês, sem legendas) de 1951 realizado pela divisão de filmes da Encyclopedia Britannica.

A animação explica os efeitos da heroína, maconha e cocaína no corpo.

O filme completo pode ser visto ou baixado no Internet Archive.

:: Posts relacionados: Sexo, anos 60, Neuroses de guerra II, Biblioterapia

Sob o efeito da literatura

Drogas que deram um empurrão no processo criativo de alguns clássicos da literatura (clique para ampliar):

(via Lapham’s Quaterly)

Leave a Comment

Medo e delírio na rave

Psychosomatic © Jenny Morgan, 2011

psicopatologia síndrome de cotard delírio de negação ecstasy psicose
Achei muito interessante este relato de caso publicado no Jornal Brasileiro de PsiquiatriaSíndrome de Cotard associada ao uso de ecstasy.

O relato é de um paciente jovem que passou a isolar-se e a desenvolver o delírio de que seus orgãos internos estariam apodrecendo. O quadro foi induzido pelo uso recreativo frequente de ecstasy.

Chamamos Síndrome de Cotard (pronuncia-se “cô-tár“) o conjunto caracterizado por delírios ao redor da temática da degeneração ou putrefação do corpo ou de órgãos internos, associados geralmente a alucinações (visuais, olfativas, cenestésicas) referentes à idéia em questão. Então, por exemplo, um paciente pode crer de maneira delirante que seu fígado apodreceu e ter alucinações olfativas do cheiro desagradável vindo do seu interior. Em casos mais graves o paciente pode crer que está morto.

(É por isso que sinto nesta notícia de jornal um certo cheiro de Cotard.)

Quem acompanha o Fluxo do Pensamento  lembra que já falei sobre a Síndrome de Cotard (ou delírio de negação) em outra ocasião.

:: Posts relacionados: Delírio de negação, Epônimos, Amor delirante

Leave a Comment

Sons de estimação

Hoje o disco Pet Sounds completa 45 anos. Esse jovem senhor foi lançado em 1966 pelos Beach Boys - alguns meses antes do álbum Revolver dos Beatles – e teria influenciado a dupla Lennon & Mccartney a alçar vôos mais sofisticados dentro da até então limitada fôrma da música pop.

E o que o Pet Sounds tem a ver com psiquiatria? A resposta é Brian Wilson, o líder, principal compositor e arranjador dos Beach Boys. Filho de um pai abusivo, o talentoso Brian conseguiu superar uma séria limitação auditiva – era quase completamente surdo à direita – e construir as intricadas linhas melódicas tão características da banda. Mais ou menos durante o período de gestação do Pet Sounds, Wilson meteu-se a descer o tobogã de quase todo músico da época: o uso de pesadas drogas alucinógenas. Não demorou até desenvolver delírios paranóides acompanhados de agorafobia que resultaram em anos de completa reclusão.

Hoje, apesar dos sintomas de discinesia tardia e certo embotamento afetivo, Brian Wilson ainda compõe e faz shows.

Aqui, o site oficial de um dos maiores gênios da música pop.

* No vídeo, a música é a versão remasterizada de God Only Knows. Ponha os fones de ouvido, diminua as luzes e relaxe.

:: Posts relacionados: It ain’t me, babe, Intermezzo, Obsessão musical

Além da pele

Preconceitos de lado,  não há como analisar o comportamento dos jovens de hoje sem levar em conta dois elementos importantes na construção da identidade de alguns deles: tatuagens e piercings.

Encotrei três fontes interessantes sobre o tema:

- Tattoos and Body Piercings as Indicators of Adolescent Risk-Taking Behaviors: um estudo sobre a relação entre tatuagens e comportamentos disruptivos em adolescentes;

- Tattoo designs among drug abusers: uma análise dos padrões de desenhos de tatuagens entre dependentes químicos em Israel;

- A mensagem por trás da imagem: estudo de tatuagens à luz da análise do discurso: uma dissertação que aprofunda na história e conceitos por trás desse costume muito humano.

* Bônus: Uma matéria bacana e ricamente ilustrada do The Selvedge Yard sobre tatuagens à moda antiga.

:: Posts relacionados: Feitiçaria moderna, Medindo o estigma

Leave a Comment

O mistério final de Poe


O escritor americano Edgar Allan Poe (1809-1849) morreu sob cricunstâncias misteriosas aos 40 anos. Poe sofria de alcoolismo e há mesmo a possibilidade de ter tido o que chamamos hoje de transtorno afetivo bipolar. Achei três links interessantes sobre o autor de O Corvo:

Edgar Allan Poe Mistery (texto da University of Maryland sobre as circunstâncias da morte)

Once upon a midnight dreary: the life and addictions of Edgar Allan Poe;

The System of Dr Tarr and Professor Fether (1845) – Psychiatrists in 19th-century fiction
(pequeno texto sobre um conto muito interessante de Poe)

Posts relacionados: Diário de um louco, Dostoiévski em crise, Anatomia da poesia

Leave a Comment